top of page
Sobre

Estimulação Elétrica Transcraniana (ETCC)

Há algum tempo, os pesquisadores focados em neurorreabilitação têm procurado métodos não invasivos para tratamentos de doenças da área.
Essa procura tem surtido efeito e levado ao desenvolvimento de técnicas como a Estimulação Transcraniana por Corrente Contínua (ETCC). 
Além de não invasiva, a ETCC é bastante segura e eficaz no tratamento de várias condições neurológicas.
Veja abaixo como funciona esse método e para o que ele é indicado.


Como funciona a ETCC?

Para dar início à uma sessão de Estimulação Transcraniana por Corrente Contínua, o especialista aplica eletrodos na cabeça do paciente.
Esses eletrodos são conectados a um equipamento que emite uma corrente elétrica de baixa intensidade (cerca de 2 mA) que viaja pelos fios dos eletrodos até o crânio da pessoa.

Uma vez em contato com o cérebro do indivíduo, essa corrente irá estimular o sistema nervoso e as sinapses cerebrais.

A área focal da estimulação é o córtex cerebral, e o objetivo geral é melhorar a interação entre os neurônios para tratar problemas cognitivos e motores.
Vale destacar que a ETCC é totalmente indolor e praticamente imperceptível na maioria dos casos.

Cada sessão dura entre 20 e 30 minutos e a quantidade das sessões deve ser decidida pelo profissional responsável, com base no problema que o paciente apresenta.

Contudo, geralmente as sessões são diárias e podem levar até 20 dias para serem concluídas.


Quando esse método pode ser usado?

A Estimulação Transcraniana por Corrente Contínua é indicada para o tratamento de uma série de doenças com origem neurológica.
Isso inclui desde distúrbios cognitivos e motores, podendo ser congênitos ou condições adquiridas, como lesões encefálicas.

Além disso, acredita-se que o método seja eficaz contra alguns distúrbios de ordem emocional e/ou psicossomática. 

Veja alguns exemplos de problemas que a ETCC pode ajudar a tratar:

  • Mal de Parkinson;

  • Paralisia Cerebral;

  • Autismo;

  • Distonia;

  • Doença de Alzheimer;

  • Dor crônica;

  • Sequelas de AVC (Acidente Vascular Cerebral);

  • Falta de memória;

  • Distúrbios de fala ou escrita;

  • Problemas neurológicos que dificultem a locomoção;

  • Transtornos depressivos e de ansiedade;

  • Entre outros.

Vale destacar que na maioria dos casos a ETCC é apenas parte do tratamento, não o tratamento em si.

Com isso, é um erro crer que apenas a estimulação venha a solucionar determinado problema neurológico.


Qualquer tipo de paciente pode fazer a Estimulação Transcraniana por Corrente Contínua?

O uso ou não da ETCC no tratamento de determinado paciente deve ser avaliado por um profissional especializado.

No processo de decisão o especialista deve levar em consideração o histórico do paciente e a condição da qual ele está acometido.

Contudo, na maioria dos casos não existem contraindicações severas quanto ao uso dessa terapia.


Existe algum tipo de efeito adverso relacionado ao tratamento?

Os especialistas asseguram que a Estimulação Transcraniana por Corrente Contínua não tem potencial danoso algum.
Entretanto, alguns pacientes podem experimentar sintomas adversos leves, como dor de cabeça, náuseas, irritação e dificuldade de concentração após as sessões.

Busque tratamento com especialistas
A ETCC tem sido bastante usada no tratamento de pacientes que já não reagem aos tratamentos convencionais.

E por causa do seu alto percentual de eficácia, a terapia foi incluída no rol de tratamentos oferecidos pela Clínica Neurologic. Entre em contato conosco e saiba mais!

mixed-media-1.width-800.format-webp.webp
bottom of page